Você não está conectado. Conecte-se ou registre-se

Os consoles cancelados na história dos games

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo  Mensagem [Página 1 de 1]

1 Os consoles cancelados na história dos games em Ter Out 13, 2009 12:54 am

Chrono

avatar
conseguiu vencer REIR0M e virou o TITAN of the Games
conseguiu vencer REIR0M e virou o TITAN of the Games
Você deve ter ouvido
falar sobre algum lançamento de um suposto console há muito tempo
atrás. Agora, nada mais se fala sobre ele. O que deve ter acontecido?
Cancelado? Projeto fail? Falência do Fabricante? Enquanto alguns
protótipos destes estão por aí nas mãos de colecionadores (Chuck Norris
tem a maioria deles), outros nem saíram do papel.

Nesta matéria, você conhecerá os consoles que nunca chegarão nas lojas e atacados.

ATARI GAME BRAIN



Nome: Game Brain
Fabricante: Atari
Ano: 1972

O Primeiro sistema desenvolvido pela Atari a ter cartuchos
intercambiáveis, aparecendo antes do Atari 2600. Ele tinha um grande
botão na parte superior e botões que formavam uma espécie de cruz na
parte inferior. Os games eram selecionados através de chaves, que
ficavam na parte superior do console.

Os seus cartuchos não continham roms, apenas chips que produziam um certo número de jogos. Apenas nove [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] foram desenvolvidos para ele.

O Game Brain foi descartado em favor do lançamento do Atari 2600.

ATARI 2000



Nome: Atari 2000
Fabricante: Atari
Ano: 1979

O Atari 2000 seria uma versão mais barata do Atari 2600 que a empresa pretendia lançar no futuro.
O seu controle ficava acoplado no próprio console. Entretanto,
alguns controles da Atari são famosos por serem facilmente "quebráveis"
e por isso a empresa descartou este console em favor do Atari 2600 Jr.
Ainda assim existe alguns protótipos destes por aí.

ATARI 2500



Nome: Atari 2500
Fabricante: Atari
Ano: 1979

Parece que o Atari 2600 teve várias revisões antes da sua versão
final ser lançada. O esquema dos controles eram fixados no próprio
console, isto porque os sistemas daquela época eram similares ao
Telejogo. O controle era do tipo botão giratório, limitado para jogar
games de corrida, Pong e seus similares.

ATARI COSMOS



Nome: Cosmos
Fabricante: Atari
Ano: 1982

Este portátil usa holografia como forma de exibição. Seus cartuchos
não continham roms, apenas chips que interagiam com o console para
produzir um determinado número de jogos. A exibição seria através de
uma tela com alguns LEDs, onde se colocava (supostamente) cartões com
imagens holográficas sobre eles para produzir um efeito pseudo-3D
(similar ao do Virtual Boy). Dizem que o culpado pelo seu cancelamento
foi o crash dos games de 1984.
Embora o console não tenha sido lançado, os protótipos estão aí pelo mundo - provavelmente nas mãos de colecinadores.

ATARI 2700



Nome: Atari 2700
Fabricante: Atari
Ano: ?

O modelo da série 2000 do Atari a ter controles wireless. Nunca foi lançado.

ULTRAVISION



Nome: Ultravision
Fabricante: ?
Ano: 1983

É uma gerigonça que tinha um slogan de marketing: "It's a Game! A
Computer! A Color TV! It's Ultravision!" O aparelho tinha uma televisão
de 10 polegadas integrada no console, era compatível com alimentações
de energia AC e DC (podendo ser portátil, sendo alimentado por uma
bateria de carro) e além de suportar cartuchos do próprio sistema,
suportava cartuchos do Atari 2600, Intelivision e Colecovision.
Este console se parecia com aqueles computadores daqueles filmes da década de 30, como o Flash Gordon.

TAITO WOW WOW



Nome: Wow Wow
Fabricante: Taito
Ano: ?

É a máquina de 16 bits da Taito que foi mostrado na Expo Tokyo na
década de 90. Tinha recursos comparáveis aos do Mega Drive ou TG-16,
mas com leitor de CD-ROM. Os jogos seriam disponíveis em CD ou poderiam
ser baixados através de um serviço on-line. A Taito fez marketing do
aparelho com testes no Japão antes de cancelar o projeto.

A Taito foi vendida para a Square Enix em 2005.

ACTION ENTERPRISES GAME MASTER



Nome: Game Master
Fabricante: Action Enterprises
Ano: 1991

Este portátil seria capaz de rodar games de SNES, Genesis, Game
Boy, TG-16, NES e Lynx, além de jogos desenvolvidos para ele mesmo. Mas
para suportar tantos sistemas, tipos de cartuchos e travas de regiões,
seria necessário um adaptador mestre para suportar a maioria dos
cartuchos e por causa disso, seria impossível que todos os games fossem
compatíveis. Foi um projeto ambicioso, mas que estava condenado desde o
início.

ATARI PANTHER



Nome: Panther
Fabricante: Atari
Ano: 1991

Desde 1988, a Atari estava desenvolvendo dois hardwares (acreditem
se quiser): um de 64 bits chamado Jaguar e outro de 32 bits chamado
Panther. Os dois estavam sendo desenvolvidos simultaneamente, mas o
trabalho de desenvolvimento do Jaguar foi mais rápido e o Panther ficou
no esquecimento (as duas máquinas estavam prontas e o jaguar seria
lançado dois anos após o Panther). Provavelmente, Panther seria lançado
para competir com os consoles de 16 bits (SNES e Mega Drive).

A máquina tinha três chips trabalhando em conjunto, constituído
por um Motorola 68000 rodando à 16Mhz, um processador chamado Panther,
e um processador de som da Ensoniq, chamado Otis com 32 canais de som.
O Panther poderia exibir supostamente 8.192 cores em uma paleta de
262.144 cores, além de 65.535 sprites de qualquer porte
simultaneamente.
Parece que alguns componentes desta máquina acabaram sendo
portados para o Jaguar (por exemplo, as máquinas têm o mesmo limite
para a quantidade de sprites que poderiam ser exibidos em qualquer
determinada linha de digitalização, sem "tearing").

Sobre os jogos, há boatos que os games Panther-pong, Cybermorph,
Raiden e Cresent Galaxy seriam originalmente desenvolvidos para o
Panther e depois foram portados para o Jaguar.

Sob o ponto de vista técnico, o Panther poderia ter sido um
concorrente de peso para o SNES e Mega Drive, mas a Atari perdeu um
tempo precioso abandonando-o para desenvolver apenas o Jaguar. Quando
finalmente o Jaguar foi lançado, já haviam consoles com hardwares
superiores, como o Sega 32X e o 3DO. A chegada do Sega Saturn e do Sony
Playstation significou o fim para a Atari como fabricante de
video-games.

Neste momento, há existência de apenas três protótipos do Panther,
junto com um manual técnico que tem o código-fonte para o jogo
Panther-Pong.

ATARI MIRAI



Nome: Mirai
Fabricante: Atari
Ano: ?

Pouco se sabe sobre este protótipo, mas parece que o seu hardware é
baseado na linha de computadores de 16 bits Atari ST. Há uma
especulação por aí que diz que o console poderia ter sido um projeto
feito em conjunto entre a Atari e a SNK, como uma possível versão mais
barata do Neo-Geo AES que as pessoas normais podiam pagar (já que o Neo
Geo AES original era muito caro). Aparentemente, os escritórios da
Atari e da SNK ficavam na mesma rua, um de frente ao outro e os
executivos das duas empresas se conheciam muito bem. O combustível para
toda essa especulação (para não dizer 'viajada na maionese'), seria o
grande slot para cartuchos Neo Geo e o seu nome "Mirai" - que em
japonês seria "Futuro" - comparando-se com o slogan da SNK - "The
Future Is Now!".

Na verdade, quase nada é conhecido oficialmente sobre este
console. Poderia até ser legal se fosse lançada uma versão do Neo Geo
AES que não custasse tão caro naquela época...

CAMERICA EXPRESS



Nome: The Express
Fabricante: Biederman Design Labs / Camerica
Ano: 1991

Um portátil compatível com os cartuchos do NES (Nintendinho),
desenvolvido pela Biederman Design Labs e comercializado por Camerica,
famosa por negar acordos da Nintendo e lincenciar softwares sem o selo
de aprovação NES. A gota d'água foi quando a Camerica produziu o Game
Genie, o que trouxe a ira da Nintendo. Infelizmente, esta empresa se
desfez antes de lançar o portátil, pois a Nintendo entrou com uma ação
para que o aparelho não fosse lançado, já que seria contra a estratégia
de marketing do Game Boy.

KONIX MULTISYSTEM




Nome: Konix Multisystem
Fabricante: Konix
Ano: 1991

Um sistema de 16 bits desenvolvido pela empresa inglesa chamada
Konix, um fabricante de controles e periféricos para consoles e PCs.
Supostamente, esta máquina deveria ser muito poderosa, feita com ênfase
para rodar games de corrida e similares. O estranho é que ele viria com
um drive de disquete de 3,5", provavelmente para facilitar as cópias de
jogos e pirateá-los em um piscar de olhos. Em um anúncio feito na E3
naquela época, estariam disponíveis 4 jogos: Um era Shadow of the Beast
e os outros três games de corrida, logicamente.

SNES PLAYSTATION / SNES CD-ROM








Nomes: Snes Playstation ou SNES CD_ROM
Fabricante: Nintendo, Sony e Phillips
Ano: de 1991, até perto de 1994

A história do drive de CD-ROM para o Super Nintendo é bem longa. No
início, a Nintendo fez um acordo com a Sony para que esta desenvolvesse
um leitor de CD para o SNES. O acordo original de 1988 seria que toda a
licença e controle sobre os jogos baseados em CD_ROMs seriam de
propriedade da Sony. Então a Sony anunciou o aparelho na CES (Consumer
Electronics Show) em 1991. O CEO da Nintendo, Hiroshi Yamauchi, não
queria perder esse controle sobre os jogos lançados em CD, então rompeu
com a Sony e fez um acordo com a Phillips, desta vez, a Nintendo teria
total controle dos games e em troca, licenciaria as franquias Zelda e
Mario para o CD-I, o console multimídia da Phillips.

A primeira versão do SNES CD-ROM, seria apenas um leitor de CD-ROM
com memórias RAM e ROM e co-processador onboard para o console da
Nintendo. Só que havia alguns contratempos, como o processador lento do
SNES (tecnicamente era mais lento do que o CPU do Mega Drive). Então
foi desenvolvido uma segunda versão, com um co-processador de 32 bits,
drive de CD mais rápido e mais memórias RAM e ROM, pronto para
transformar o SNES em um console de 32 bits. Ambas as versões seriam
compatíveis com os CDs do Phillips CD-I, além dos games próprios. Após
a Nintendo ver o fraco nível de vendas do concorrente Sega CD e notar
que o chip Super FX seria o melhor upgrade para SNES, ela não viu mais
motivos para continuar investindo em um leitor de CDs.

Quem saiu ganhando nesta história foi a Phillips (bem, nem tanto),
com o seu CD-I tendo 1 jogo do Mario e 3 jogos de Zelda durante o seu
envolvimento com a Nintendo. A Sony ganhou mais ainda, pois recontruiu
o projeto o Playstation e o resto da história todo mundo já sabe.

SEGA VR



Nome: Sega VR
Fabricante: Sega
Ano: entre 1991 e 1993

Hoje em dia, jargões como "Inclusão Digital" e "Aquecimento Global"
soam igual aos jargões dos anos 90: "Surfar na Internet" e "Realidade
Virtual". A moda Realidade Virtual apareceu por causa dos primeiros
jogos poligonais como Wolfeinstein 3D, Duke Nukem 3D, além alguns
gráficos 3D mais decentes como Virtua Fighter, Virtua Racing e Doom.

Parece que temas Hollywodianos de realidades virtuais utilizando
óculos 3D afetaram as mentes dos desenvolvedores da Nintendo (ou será
que foi vice-versa?), criando o 'fantástico' e temível Virtual Boy.
Como toda a concorrente que se preza, a Sega anunciou também o seu
'incrível' Sega VR. Diferente do Virtua Boy que tinha que usar um tripé
para jogar, o Sega VR era mais compacto, funcionando como um óculos
convencional, com telas LCDs no lugar das lentes e fones de ouvido
embutidos.

A Sega decidiu interromper o projeto porque considerou que os
usuários poderiam se machucar, se usassem o aparelho enquanto
caminhavam, já que não podiam enxergar ou ouvir alguma coisa.
Imaginem só o sujeito atravessando uma avenida ou dirigindo utilizando o VR...

SEGA NEPTUNE



Nome: Neptune
Fabricante: Sega
Ano: ?

A Sega percebeu que o 32X só era adquirido pelos donos do Mega
Drive, já que dependia deste para funcionar. Ou seja, para utilizar o
32X, o consumidor teria que comprar também o Mega. Para isso, a Sega
anunciou o que seria o sucessor do Mega Drive e 32X: o Neptune, a fusão
dos dois consoles.

Mas vendo que o sistema 32X já estava em baixa, além do projeto Saturn que estava adiantado, resolveram cancelar o console.

AT&T 3DO



Nome: AT&T 3DO
Fabricante: AT&T
Ano: 1992

A plataforma 3DO foi desenvolvida por vários fabricantes. A empresa
americana de telefonia, a AT&T resolveu se aventurar também nesta
plataforma, mas infelizmente não lançou a máquina.

ATARI JAGUAR DUO



Nome: Jaguar Duo ou Jaguar II
Fabricante: Atari
Ano: 1993

Seria a fusão do Jaguar convencional com o Jaguar CD. Após o
lançamento do Jaguar CD, a Atari iria lançar este combo, mas vendo o
fiasco em que acabou o seu console e o seu drive de CD, a empresa
desistiu de lançá-lo.

BANDAI HET



Nome: Bandai HET
Fabricante: Bandai
Ano: 1993

Este SNES portátil possuía aparência de um notebook e logicamente
era compatível com os cartuchos do console da Nintendo, tanto que foi
mostrado na E3 de 1993. Para os padrões de hoje, a sua tela pode ser
considerada pequena, mas era impressionante na época. A própria
Nintendo acabou "embargando-o", pois aparentemente este portátil
poderia ser um concorrente em potencial para o seu Game Boy. Mas parece
que existem alguns raros modelos destes por aí.

PHILLIPS IN2IT (OU KIDCOM.)



Nome: In2it ou Kidcom.
Fabricante: Phillips
Ano: 1996

Na verdade, isto seria um PDA para crianças, que teria calculadora,
agenda eletrônica, relógio, um possível programa de mensagens
instantâneas, editor de desenhos, além de jogos educativos como
softwares compatíveis. Conhecido também como Kidcom., parece que acabou
morrendo antes mesmo de ser lançado oficialmente.

Pelo menos cinco unidades saíram para o público em geral (na
Holanda pelo menos), eles foram usados em um estudo para ver como as
crianças reagiriam a esses dispositivos para mensagens instantâneas e
tal.

HYPER NEO GEO 64 CONSOLE



Samurai Shodown 64

Nome: Hyper Neo Geo 64 - Versão Console (sem imagens)
Fabricante: SNK
Ano: 1997


Vendo que os sistemas MVS, Neo Geo AES e Neo Geo CD estavam ficando
com hardwares obsoletos em comparação aos outros arcades e consoles, a
SNK lançou o Hyper Neo Geo 64 em 1997, um arcade para concorrer com as
plataformas 3D da Sega, Namco e a Nintendo (Ultra 64).
Este novo hardware serviria de base para que a SNK 'lançasse'
também o seu console caseiro de 64 bits (com o mesmo nome), para
concorrer com os consoles daquela geração (Playstation, Sega Saturn,
Atari Jaguar, 3DO, Phillips CD-I e Nintendo 64).

Os jogos para o novo arcade da SNK seriam convertidos para o seu
novo console. Os primeiros jogos lançados para arcade foram Road's
Edge, Samurai Shodown 64 e Fatal Fury Wild Ambition, mas os jogadores
não demonstraram muito interesse nas versões 3D destes jogos,
preferindo assim as versões 2D da antiga plataforma MVS.

Vendo que a sua plataforma estava perdendo espaço para outros
arcades 3D dos concorrentes e por causa dos seus games fracos, a SNK
preferiu não lançar a versão caseira desta plataforma de 64 bits.

Com apenas sete jogos lançados, o arcade Hyper Neo Geo 64 morreu
em 1999. Destes jogos, apenas Fatal Fury Wild Ambition foi convertido
para o Playstation, com gráficos mais simples, já que o hardware do
console da Sony tinha menos recursos do que o jogo original exigia.

3DO M2



Nome: 3DO M2
Fabricante: 3DO Company
Ano: 1998

Esta máquina era para ser um upgrade para o 3DO, que poderia exibir
gráficos à frente que qualquer console da época, além de ser
concorrente em potencial do Nintendo 64. A idéia era lançá-lo como
periférico para os 3DOs existentes, mas vendo que estas máquinas
estavam perdendo terreno para Playstation e Saturn, o M2 já estava
condenado desde o primeiro dia.

Assim, a 3DO Company vendeu o M2 para uma empresa japonesa chamada
Matsushita - que depois decidiu não lançá-lo, deixando órfãos vários
donos de 3DO.

Para não perder o investimento, a tecnologia do M2 foi incorporado
em uma máquina de fazer café (?!?), entre outros dispositivos.
Após a morte do seu console, a 3DO Company sobreviveu alguns anos
como desenvolvedora de jogos até declarar falência em 2003, enquanto
suas marcas foram vendidas para concorrentes como Microsoft, Namco,
Crave, e Ubisoft e também ao fundador Trip Hawkins, que pagou 405.000
Dólares de direitos das franquias mais antigas da empresa. Trip
continuou e fundou a Chocolate Digital, uma companhia de jogos
portáteis.

Será que existem protótipos M2 ainda por aí? Provavelmente...

Mas 100 milhões de Dólares em investimentos para uma máquina de café? Seria cômico se não fosse trágico...

Indrema L600





Nome: L600
Fabricante: Indrema
Ano: 2000 ou 2001

L600 seria um console tendo o Linux como um sistema operacional.
Com um sistema operacional de código aberto, significaria que qualquer
pessoa com um PC poderia desenvolver um jogo para este console. Com
controles estilo Dual Shock e leitor de CD e DVD, os jogos poderiam vir
em mídias destes formatos.

A Indrema fechou suas portas em Abril de 2001 e consequentemente
cancelou o console (faltava mais $10 milhões de Dólares para terminar o
projeto). Mas parece que existem alguns protótipos prematuros do L600
pelo mundo afora.

RED JADE



Nome: Red Jade
Fabricante: Ericsson
Ano: 2001

A Ericsson investiu $10 Milhões no desenvolvimento deste portátil e
tudo estava indo muito bem quando um corte de custos da empresa obrigou
a fechar 22.000 postos de trabalho (nisto, o Red Jade foi cortado
também).

O aparelho teria algumas capacidades muito legais, como funções
básicas de um PDA, conectividade sem fio (como Bluetooth), rodaria
filmes Dvix, processador gráfico parecido com o do PS1, etc. Os
Softwares seriam baixados a partir de servidores seguros, não está
claro se a máquina seria compatível com cartuchos, mídias de memórias
flash ou outro tipo de mídia removível. Se parece com um GP32 ou um
Nokia N-Gage, só que com mais funções.

PHANTOM



Protótipo do console Phantom



Lapboard, nascido do Phantom

Nome: Phantom
Fabricante: Infinium Labs
Ano: 2004

Alguém aí dirá que este console foi o pai do Zeebo, porque ele não
teria nenhum leitor para qualquer mídia (CD/DVD ou cartucho). Os seus
games seriam comprados e baixados pela internet através de uma conexão
de banda larga.

A Infinium Labs alegou que o console iria à venda em novembro de
2004 durante a temporada de férias, no entanto, a empresa ainda não
tinha desenvolvido o programa de vendas on-line, não havia jogos
licenciados ou encontrado qualquer varejista. A empresa perdeu todos os
prazos, enquanto ao mesmo tempo enviou milhares de faxes dizendo o
sistema estaria pronto e lançado em Janeiro de 2005.
Quando esse prazo passou, Infinium previu que a liberação do
sistema seria em torno de Março de 2005. Esta data também passou e
Infinium Labs não apareceu na E3 2005. Houve sugestões de Kevin Bachus,
ex-CEO da Infinium, que o Phantom seria lançado na mesma época do Xbox
360 no Outono de 2005, mas essa data foi também não foi atingida.
Enfim, Phantom foi conhecido por ser adiado inúmeras vezes e falta de
dinheiro para o projeto.

No dia 21 de fevereiro de 2006, foi comunicado que o Phantom seria
adiado por tempo indeterminado, porque a empresa já estava sem dinheiro
para continuar o projeto. A partir de 15 de agosto de 2006, o Phantom
não estava mais nas páginas de produtos do site e foi cancelado.

Um tempo depois o projeto Phantom foi transformado em um teclado wireless chamado Lapboard.

EVE



Nome: Eve (título provisório)
Fabricante: Ministry Mobile
Ano: 2004

Este portátil interessante foi anunciado na E3 2004, basicamente
era um pequeno palmtop, um mini-PC que poderia rodar jogos de PC,
filmes, música, etc, mas com ênfase em jogos. Como é baseado na
arquitetura 86x, era compatível com milhares de jogos de PC já
existentes e com o Windows XP Embedded. Parecia um gadget muito bacana
e que seria bom para assistir a filmes em alguma fila ou algo assim.

Para jogos que usam mouse e teclado, seriam compatíveis com o
stick analógico e direcional digital do portátil, logicamente não
conseguiriam o tempo de resposta certa. Mas pelos menos o aparelho
tinha uma bela tela LCD de 4 polegadas e saída para TV.

De acordo com um comunicado de imprensa da Ministry Mobile, o
portátil usaria uma espécie de criptografia via chip SIM para bloquear
jogos piratas.

Porém em 2005, o site da Ministry estava fora do ar
permanentemente, cujo domínio estava à venda. Nenhuma notícia sobre Eve
foi ouvida até hoje.

NANOGEAR



Nome: Nanogear
Fabricante: Nurve Networks
Ano: ?

Um portátil de alta tecnologia que parece que nunca saiu do papel.
Possivelmente, qualquer um poderia desenvolver os jogos para ele. Teria
conexão USB para conectar em PCs e saídas para ligar direto na TV.

GAME PARK XGP



XGP modelo padrão



XGP Mini



XGP Kids

Nome: XGP
Fabricante: Game Park
Ano: 2006

O mundo Gamepark é um pouco complicado, depois do portátil
desconhecido chamado Gamepark 32, a empresa Game Park foi dividida em
duas, vários engenheiros e desenvolvedores fizeram a sua própria
empresa rival chamada Gamepark Holdings, para desenvolver o GP2X
Gamepark, enquanto Game Park desenvolveu este portátil, o XGP (Extreme
Game Player.)
O console foi desenvolvido em diversos modelos diferentes,
incluindo o XGP Mini (que era provavelmente uma tentativa de reproduzir
o sucesso no mercado da Nintendo do GBA Micro) e uma pequena máquina
mais resistente para crianças, chamado XGP Kids. As capacidades teriam
sido semelhantes entre os três modelos, o tamanho do Mini XGP foi
reduzido para reduzir os custos, enquanto XGP Kids teria um hardware
mais simples, concentrando-se para o mercado de jogos para crianças.
O portátil prometia muito, porém a partir de 7 de março de 2007,
a Game Park não deu mais notícias sobre o portátil e o seu site
transformou-se em um site para downloads de jogos flash e servidor de
jogos online para PCs. Mesmo assim, suporte ao Gamepark 32 original
continua forte por parte dos fãs e por games homebrew (assim como o
Gamepark 2PX).

PORTÁTIL DA NINTENDO (sem nome e imagem oficial)



Possível nome: Game Boy DS
Fabricante: Nintendo
Ano: Provavelmente em 2006

Satoru Iwata, presidente da Nintendo, disse aos jornalistas da [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
que cancelou um novo console portátil, completo e pronto para entrar na
fase de produção. Mas não foi lançado porque não conseguiu atingir a
meta (criada pela Nintendo) para continuar. Este projeto aconteceu por
volta de três anos atrás.

A notícia completa está [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.].

NOTA: A imagem acima é apenas uma montagem.

APPLE IPLAY



Versão concept art para console



Versão portátil
Nome: iPlay
Fabricante: Apple
Ano: 2008 (não oficial)

Tudo o que se sabe sobre este console é que acabou virando um
portátil, que depois desapareceu da mídia. Provavelmente, alguns de
seus games foram portados para o iPhone.

Fontes de pesquisa e imagens:

Wikipedia
Ultimate Console Database
Google
Atari History




Matéria feita por SigaSega - GameVicio

Muito da hora a matéria, e to compartilhando com vocês!

valeu
cheers

Ver perfil do usuário http://Titan.dk3.com

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo  Mensagem [Página 1 de 1]

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum